Degustação Vinhos do Tejo – Metodista

Scroll down to content

Como falei noutro post, teremos um concurso de harmonização de vinhos do Tejo,envolvendo a turma de gastronomia (4o. Semestre), e para isso fizemos uma degustação provando os títulos disponibilizados por nosso amigo José Carlos Santanita.

Contamos com o conhecimento e apoio da Chef Suzana, na orientação sobre os vinhos e do Chef Bergamo e Chef Daniel na colaboração e liberação do laboratório para essa ação e para os testes, se forem necessários.

Como sei que algumas pessoas acabaram não conseguindo ir a degustação, fiz uma pesquisa rápida dos títulos e estou compartilhando aqui, juntamente com os fatores importantes que discutimos na Metodista, ok?

Espero ser útil a todos que estavam presentes e os que não também. 🙂

Confira,aqui.

Fiúza Alvarinho

Muito cítrico, crocante, com notas de casca e caroço de pêssego, muito boa acidez na boca, firme e focado na textura estaladiça, bom fruto num conjunto impressivo, muito fácil de beber e de gostar…

Região Regional Tejo

Tipo branco

Produtor Fiuza & Bright

Ano 2013

Álcool 13%

Data da Prova   dezembro, 2014

Fonte: http://www.revistadevinhos.pt/vinhos/show.aspx?vinho=15849

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Corte Varietal Alvarinho,

Intenso, ácido, floral e doce, encorpado, fragrância de fruta fresca e madura

 

Quinta do Casal Monteiro branco 2014

O vinho é simplesmente divertido! A partir das castas Arinto e Fernão Pires Quinta do Casal Monteiro keltert estes excelentes Branco. No vidro do vinho brilha em amarelo verde-claro. O buquê combina aroma floral com aromas de frutas amarelas. Na boca o vinho é agradavelmente suculento e suave. Reverbera. Maravilhoso vinho todos os dias e ainda tipicamente Tejo!

Nível de qualidade DOC

Uva Branco Cuvée

Vinho gosto branco, frutado

Flavour seca

Teor de álcool12,5 Vol.%

Emparelhamento de alimentos Peixe, peru

Fonte: http://translate.google.com/translate?hl=pt&sl=auto&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.videli.de%2Fweisswein%2Fvinho-branco-quinta-do-casal-monteiro.html

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Corte Arinto, Fernão Pires, aromas de abacaxi, frutado e frutas maduras, alcoólico, ácido e mineral, leve e fresco.

 

Rose do Casal da Coelheira

Aromas: primeiro morango, depois cereja, e no final uma compota de amora silvestre com algumas notas florais bem frescas.

Elaborado a partir das castas Syrah e Touriga Nacional, assume-se numa linha mais moderna, planeado e estruturado para agradar aos amantes do verdadeiro Rose. Muito intenso e concentrado, traz todas as notas das castas tintas, permitindo uma plenitude de aromas muito além de um simples Rose tradicional.

Um vinho de Verão, para se beber sozinho com os amigos, ou na mesa com saladas, peixe grelhado ou pratos de marisco.

Fonte: http://109.71.40.117/~coelheira/wp-content/uploads/2016/05/CASAL-DA-COELHEIRA-ROSE-2015.pdf

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Syrah, ácido, corpo leve e seco, muito frutado.

 

Agro Batoreu Batoreus 2014: 89 GGP

60%. Aragonês, 30% Trincadeira, 10% Castelão, sem passagem por barrica. Rubi escuro, translúcido. Frutas vermelhas frescas mescladas a notas terrosas, seguidas de exóticas sugestões de alcaparras e tapenade de azeitonas verdes. Equilibrado, médio corpo e macio, revela toques salinos e de iodo em um final curto, mas prazeroso. Vinho de entrada da vinícola, surpreende pela personalidade e relativa complexidade em sua faixa de preço (12,5%).

Fonte: https://confrariasafrada.wordpress.com/2016/03/02/destaques-da-grande-prova-anual-dos-vinhos-do-tejo/

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Uvas Castelão e Aragonez e Trincadeira, aromas baunilha, café e madeira

 

Terra Silvestre reserva 2010

Uvas: Touriga Franca (50%), Syrah (25%), Alicante Bouschet (15%) e Cabernet Sauvignon (10%)

Safra: 2010

Produtor: Agro-Batoreu

País: Portugal

Região: Aveiras de Cima – Tejo

Teor Alcoólico: 13,5%

Temperatura de Serviço: 16° a 18°C

Vinificação: Em cuba de inox com maceração com as cascas por 6 a 8 dias, com temperatura controlada entre 26 e 28ºC.

Visual:  Cor violeta intensa, límpida. Lagrimas densas, coloridas e que escorrem lentamente pelas paredes da taça.

Nariz: Aroma frutado muito complexo, com toques de baunilha, chocolate, café, couro. Notas leves de menta e especiarias

Boca: Bem equilibrado na boca, com sabores que remetem aos aromas, encorpado e com final seco, porém agradável, e muito persistente.

Harmonizações: Com pratos de carne, caça e queijos. É tão bom que eu até dispensaria os pratos, para poder degustá-lo lentamente curtindo cada momento que este vinho proporciona.

Fonte: http://www.estilodevidavg.com/products/terras-silvestre-reserva

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Aroma couro, madeira e defumado.

 

Casaleiro Colheita Selecionada

Fruta vermelha, notas perfumadas de lavanda e flores, terra húmida, ligeiro metálico. Na boca está bem proporcionado, com corpo leve, acidez alta bem integrada, taninos macios, final de bom comprimento.

Região Regional Tejo

Tipo tinto

Produtor Enoport

Ano 2011

Álcool 13%

Data da Prova   maio, 2013

Fonte: http://www.revistadevinhos.pt/vinhos/show.aspx?vinho=11385&title=casaleiro-colheita-seleccionada&idioma=pt

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Aroma frutado, corpo leve e acidez alta.

 

Badula Colheita Selecionada

Aroma com alguma elegância na tosta e baunilha o fruto é fresco e tem alguma finura, corpo mediano na boca, alguma desenvoltura, taninos com secura q.b., tudo focado na barrica e fruto, final seco.

Região Regional Tejo

Tipo tinto

Produtor Quinta da Badula

Ano 2012

Álcool 14%

Data da Prova   março, 2015

Fonte: http://www.revistadevinhos.pt/vinhos/show.aspx?vinho=16497&title=badula-colheita-selecionada&idioma=pt

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Aroma defumado, especiarias, ameixa, tanino leve e acidez media.

 

Bridão Reserva

Um tinto com profundidade, tosta e algum vegetal no fruto intenso e bem maduro. Robusto, bem estruturado, com taninos firmes e sólidos e muita frescura ácida a dar garra e comprimento.

Região Tejo

Tipo Tinto

Produtor Adega Cooperativa do Cartaxo

Ano 2011

Álcool 14,5%

Data da Prova   agosto, 2014

Fonte: http://www.revistadevinhos.pt/vinhos/show.aspx?vinho=14844

Em nossa degustação na Metodista identificamos o seguinte:

Aroma fruta madura, fresco, ácido e complexo.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: