História do Vinho – Regiões Produtoras

Scroll down to content

Hoje vamos dar sequência a nossa série Vinhos pelo mundo, primeiro falando um pouco de números e regiões e em seguida falando especificamente de como consumir e aproveitar ao máximo essa delicia liquida de tanta história.

Temos pelo mundo a produção de vinhos em mais de 90 países, sendo que 12 deles representam 80% de toda a produção mundial, são eles: Itália, França, Espanha, Estados Unidos, Argentina, Austrália, África do Sul, Chile, Alemanha, Portugal, Áustria, Nova Zelândia.

A produção deles e de mais de 25 milhões de hectolitros de vinho por ano (dados de 2012) e as características desses vinhos são afetadas diretamente pela temperatura, ou seja, em climas mais frescos temos vinhos mais ácidos e de aromas de frutas frescas e em climas mais quentes, vinhos mais alcoólicos e com aromas de frutas maduras.

Apesar da queda no panorama global, a produção do Brasil aumentou 169%, passando de 1,3 milhão de hectolitros em 2016 para 3,4 milhões de hectolitros em 2017. Segundo as estatísticas, o país ocupa a 14ª posição no ranking de maior produtor mundial. Dados da OIV. Um hectolitro representa 100 litros, ou pouco mais de 133 garrafas padrão de 750 ml.

E falando de vinho o que realmente precisamos entender?

Vinho é uma bebida produzida a partir da fermentação de uvas, mas tecnicamente é possível fazê-lo também a partir de outras frutas, porém a grande maioria é produzido com uvas viníferas.

As uvas viníferas são diferentes das uvas de mesa, menores, com sementes e normalmente mais doces, sua colheita se dá apenas uma vez por ano ao norte, entre agosto e setembro e ao sul entre janeiro e março.

E as uvas de mesa? Esta expressão está frequentemente associada a vinhos de baixa qualidade ou produzidos a partir das chamadas “uvas de mesa” que se destinam a ser consumidos “in natura” ou utilizados em sumos, como Vitis bourquina (Itália, Rubi) e Vitis labrusca (Thompson , Isabel, Niágara). A relação com a baixa qualidade advém de uma semelhança com a classificação comum em vários países europeus, que se situa na base da pirâmide de qualidade e é precisamente “vinho de mesa” (vin de table / em França; vino da távola / em Itália); por exemplo, vinho de mesa / Espanha), aliás, todos são produzidos com a casta Vitis vinífera.

Já o vinho varietal é produzido apenas com um tipo de uva, enquanto um blend é produzido a partir da mistura de outros tipos de vinho.

A safra representa se refere sempre ao ano em que as uvas foram colhidas, mas os vinhos NV ou não safrados são o resultado da mistura de diversas safras.

Temos muita o que falar por aqui, mas vamos devagar para que vocês possam curtir e assimilar as delicias e prazeres do conhecimento bem como a degustar com qualidade e acima de tudo propriedade.

Na próxima semana vamos falar das características básicas do vinho, esperamos vocês por aqui.

Santé!!!

Fontes:

https://oglobo.globo.com/

https://www.wine.com.br/winepedia

O Guia Essencial do Vinho, Madeline Puckette e Justin Hammack, Editora Intrinseca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: